Como a dança ajuda a combater a depressão

A sensação persistente de tristeza ou perda de interesse que caracteriza a depressão pode levar a uma variedade de sintomas físicos e comportamentais. Estes sintomas podem incluir alterações no sono, apetite, nível de energia, concentração, comportamento diário ou autoestima.

Você certamente conhece alguém que no momento está com os sintomas de depressão. Essa doença silenciosa e invisível transforma muitas vidas, isso inclui a vida dos familiares, que muitas vezes não entendem ou não sabem agir diante de alguém depressivo.

Após um diagnóstico médico, a linha de tratamento é medicamentosa. A depressão, infelizmente, é uma doença que não tem cura, tem apenas o tratamento, que deverá ser feito por toda vida, para que não haja mais, ou diminua os episódios de crises de depressão.

Para evitar a doença, ou amenizar os sintomas, uma série de cuidados consigo são importantes.

Dedicação a si próprio. Isso vai desde de uma boa alimentação até praticar uma atividade física regular.

Mas se você não é fã de academia, procure algo que goste; para muitos a melhor alternativa é dançar.

Por isso, convide seu parceiro, que pode ser um amigo, parente, namorado e comece a se mexer. Afinal é importante para todos ter hábitos desestressantes.

Para melhorar seus níveis de estresse, considere fazer ioga, pilates, meditação, acupuntura, hipnose, terapia, ou apenas sair com seus amigos.

Quando você movimenta seu corpo (dançando, andando ou correndo), o organismo libera dois hormônios essenciais para auxiliar no tratamento da depressão: a endorfina, popularmente conhecida como “hormônio da alegria”, por promover sensação de bem-estar, euforia e alívio das dores, e a dopamina, que apresenta efeito analgésico e tranquilizante.

Ambos apresentam influência direta sobre o humor e as emoções. Pesquisadores afirmam que a prática de exercícios aeróbios de 20 a 40 minutos entre 120/140 batimentos cardíacos por minuto, duas vezes por semana, têm a capacidade de liberar B-endorfina.

Exercícios ao ar livre proporcionam a produção de serotonina, um importante neurotransmissor que ajuda, entre outras funções, a regular nosso humor e a temperatura corporal.

Os benefícios desse tipo de atividade são sensação de aumento de energia e motivação, juntamente com a diminuição da tensão, raiva, confusão mental e depressão.

Por isso e muito mais:

 

Venha dançar, venha meditar, venha cuidar de você!