A dança ajuda no convívio social

convivio-socialQuem dança vive mais e de forma saudável!

Se eu pudesse te dar um conselho para a vida, não seria apenas para usar filtro solar, mas, para dançar, todos os dias, qualquer ritmo, sem vergonha do seu corpo ou medo de estar fora do compasso.

Quem faz aula de dança está em constante contato com a música e com os limites físicos. O bem-estar, a melhora de humor, a resistência física são características que melhoram a curto prazo, bastam algumas aulas para te tirar aquele cansaço e falta de ânimo.

Mas, se você se permitir, porque nada acontece sem seu consentimento, poderá melhorar muito seu convívio social, sua forma de se relacionar com as pessoas.

Em algumas cidades existem centros de convivência onde as pessoas se encontram para praticar esportes, artesanato, ler e dançar.

Quando se pratica a dança, independente do ritmo e da idade das pessoas, elas esquecem o mundo lá fora, se divertem, sorriem, conversam, trocam experiências e isso é socialização.

Imagine levar esse convívio para fora da pista?

  • Ir a bailes, festas, ensaios e eventos com a galera da dança;
  • Sair para curtir um barzinho, um show, um teatro;
  • Encontrar o pessoal para tomar um café, um chá, um suco;
  • Sair para dançar, acampar, viajar.

São tantas as situações que surgirão para conhecer melhor seus colegas e colegas de outras escolas que faltará agenda, e sobrarão compromissos.

Você pode buscar centros comunitários ou academias de dança, o importante é se permitir sair da zona de conforto e viver, divertidamente.

A dança é um remédio para muitos males e quando possibilita a interação entre as pessoas, auxiliando-as no processo de convívio social e afetivo, ela mostra uma das suas faces mais belas.

A dança pode ser caracterizada como uma expressão corporal em que vivenciamos emoções, alegria e liberdade. Ela é uma das artes mais antigas que se conhece.

Por meio da prática da dança, conseguimos despertar sentimentos de revitalização e ruptura do senso comum, desenvolver capacidades como a auto expressão, além de proporcionar diversão e prazer, seja em par ou sozinho, idoso ou criança, homem ou mulher.

Convide seu esposo(a), amigo(a), namorado(a), primo(a) para lhe acompanhar até um centro de dança.

Conheça as modalidades, faça uma aula experimental, a maioria dos lugares oferece a primeira aula gratuita. Mas, se não tiver companhia, não deixe de ir, pois será recebido com todo carinho que merece e procura.

Seja sozinho ou acompanhado, dance!